quinta-feira, 30 de julho de 2009

É o amor

Apesar do jeito de galã não transparecer, passei a maior parte da minha breve vida solteiro. Procurando a donzela ideal. Depois de muito andarilhar, pimba! achei. E ela é, muito para minha felicidade, uma garota que joga videogame.

E quando eu falo de garotas que jogam videogame eu não faço - deus me livre - referência nenhuma à equipes de Counter Strike ou Starcraft. Estou falando de jogos de gente. De meninas de verdade que jogam games de verdade. E que não fazem do tópico do dia o fato delas serem espécimes raras dessas criaturas lendárias.

PROTIP: Você não precisa ser exxxtrema pra mostrar que que joga. Tá tudo bem. Ninguém vai te julgar por isso.

Ela e eu dividimos os mesmos gostos ecléticos - RPG, luta, nave, bocha - e por isso fatalmente acabando jogando as mesmas coisas. Às vezes ela joga lá. Às vezes ela joga aqui. Como é o caso com Fallout 3: como eu que tenho a Caixa, ela senta aqui do meu lado enquanto eu faço qualquer porcaria no computador. Mas temos dois personagens diferentes em campanhas diferentes com roteiros diferentes.

Isso também é fidelidade. Fidelidade videogamística.

Existe um trato solene, nunca dito, nunca discutido e nunca desrespeitado. Eu mesmo quase sofri forte repreensão física por brincar com a idéia de quebrá-lo.

Alguns tópicos da boa convicência entre casais imersos no vício:

- Passar na frente (na história) do outro, pode - mas nunca NA FRENTE (no campo visual) do outro.
- Jogos começados em co-op são terminados em co-op. Sem exceções. Incluindo o World Tour de Rock Band.
- Um pode assistir o outro jogando alguma coisa, mas vai contra as regras da produtividade repetir o processo com os papéis trocados. Quem não jogo pode fazê-lo uma vez que seja de forma separada.
- No caso de jogos com vários finais, quem terminou primeiro ganha o direito de assistir o fim alternativo conquistado pelo outro.
- Níveis de dificuldades de outras opções devem ser definidas mediante a comum acordo.
- Spoilers são permitidos apenas sob permissão expressa, assinada e autenticada.
- Homens, não sejam animais de teta. Talvez elas demorem um pouco pra aprender a jogar como você acha que é o jeito certo de jogar.
- Mulheres, tenham paciência. Eles são animais de teta que acham que entendem alguma coisa.

Fernando Mucioli, gentleman

5 comentários:

Animal Boy disse...

Eu ia escrever algo MUITO legal, mas a verificação de palavras que é preciso preencher para postar um comentário apareceu com a palavra "phutets" e eu esqueci completamente o que ia falar/escrever.

Fernando Mucioli disse...

Não deixa o captcha te intimidar!

A.Sato disse...

Muitas das regras tb se aplicam a irmãos que jogam muito os mesmos jogos!

A terceira só não vale caso tenha se passado bastante tempo, ou quando se precisa de dicas por parte do primeiro que passou por lá.

E é, eu demorei pra aprender a jogar TF2 ne, e olhe lá XP

Kinda feeling disse...

acho mto digno!
como comentei no twitter, adorei o post, e acho mto legal as regrinhas.
mas infeçlizmente meninas (quando mais fofinhas pior) sofrem mega preocnceito... vários meninso me apontaram o dedo e falaram q eu não sabia jgoar kof... até eu ganhar deles no arcade XD

Ruby disse...

Hahaha mas mointo bem, me rachei!

Olha, esse negócio de menina jogando videogame é um treco que eu vou te contar.

Posso dizer por mim mesma: eu tento. Ah eu juro que tento! Mas a minha anormal curva de evolução é realmente proporcional à persistência e horas/jogo que me disponho a investir. Aí não tem mais graça.

Qual foi o ultimo que eu joguei? FFX? X-2? Raguenaroque? Sei lá.
Só sei que eu preciso de um GPS pra jogar TF, eu sempre vou parar no ponto errado. Quem sabe eu não tenha ALGUMA esperança? LOL.